Por que ‘Viva! A vida é uma festa’ vai fazer você querer conhecer o México

Pode apostar. Duas coisas vão acontecer com você ao ver o filme americano/ mexicano “Viva! A vida é uma festa” (“Coco”, no original). Primeiro, você vai se emocionar. Depois, vai querer viajar. É que o filme mostra um dos maiores motivos pelos quais você deve conhecer o México: a cultura mexicana.

Tranquilo que não vai ter spoiler… Mas a trama principal do filme, a relação dos mexicanos com a morte, é um dos melhores ensinamentos desse país ao mundo. Os mexicanos não veem a morte com medo, ou com tristeza, como a maioria dos países, principalmente do Ocidente.

Para os mexicanos a morte é parte da vida – e existe outro mundo, para além da morte, em que todos aqueles que passaram continuam, de alguma forma, cheios de vida.

No México se acredita que, uma vez por ano, no Dia de Finados, mortos e vivos se encontram na Terra. E os mexicanos se preparam a sério para a visita. Dias antes, montam em suas casas espécies de altares com fotos e as comidas de que os mortos de suas famílias gostavam. É tudo decorado com cores, carinho, com vida! Entram as famosas caveirinhas mexicanas coloridas. E os cemitérios viram lugares de festas, com as famílias reunidas e música de mariachis.

Para além da crença de que nesse dia a família toda (cá e lá) se junta, está uma base da cultura local: o respeito às tradições, às raízes, à família.

Podemos viajar pelo mundo como se tivéssemos asas, mas não podemos nos esquecer de onde viemos. Trazemos uma herança de quem veio antes da gente. Mesmo quando essas pessoas já não estão ao nosso lado, elas estão dentro de nós. E isso tem que ser festejado.

Na Cidade do México, por exemplo, além dos altares é comum na época de muertos ver “desfiles” de caveiras coloridas nas ruas. E tem as Catrinas – uma reprodução do caricaturista José Guadalupe Posada, que imaginou a morte como uma senhora elegante dos anos 1920.

Nos povoados menores, como visto em “Coco”, a festa é ainda mais forte, mais linda. Na mistura das crenças dos povos pré-hispânicos com as do catolicismo trazido pelos conquistadores espanhóis há lembranças, referências, respeito.

E fica mais fácil entender a frase que diz que todo fim pode ser também um novo começo. Viva! A vida é uma festa…

Para saber mais sobre a tradição mexicana do Dia dos Mortos, tem um texto legal aqui. . E se quiser se inspirar com as cores e virar uma Catrina, esse vídeo é pra você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s